Pesquisar neste blog

Comunicado

Comunico a todos que tiverem interesse de compartilhar meus artigos, textos, ensaios, monografias, etc., por favor, coloquem as devidas referências e a fonte de origem do material usado. Caso contrário, você estará cometendo plágio ou uso não autorizado de produção científica, o que consiste em crime de acordo com a Lei 9.610/98.

Desde já deixo esse alerta, pois embora o meu blog seja de acesso livre e gratuito, o material aqui postado pode ser compartilhado, copiado, impresso, etc., mas desde que seja devidamente dentro da lei.

Atenciosamente
Leandro Vilar

domingo, 8 de agosto de 2010

A Origem do Homem

Neste artigo não irei propor um debate acerca deste controverso tema, mas, irei aqui evidenciar algumas referências a origem do homem. Sendo assim, irei expor aqui algumas ideias de concepção do Criacionismo, no qual diz que os homens foram criados por alguma divindade; a Teoria do Evolucionismo biológico na qual diz que o homem evoluiu de antepassados símios, tendo como principal referência o trabalho de Charles Darwin (1809-1882). E por fim falarei um pouco de uma outra controversa teoria, a Teoria dos astronautas antigos, na qual diz que o ser humano fora criado por seres extraterrestres que visitaram a Terra num passado longínquo.

Quero ressalvar o fato de que não pretendo com este texto opinar que o criacionismo ou evolucionismo estejam certo ou errado, que uma teoria é correta e a outra é uma mentira, minha proposta é apenas apresentar seus conteúdos, e caberá a cada um decidir no que acredita ou não. Pois para se evitar equívocos, deixo em pauta tal observação. Aqueles que quiserem contribuir ao assunto, deixem nos comentários sugestões de leitura. 

Criacionismo:

Bíblia

"O Senhor Deus formou, pois, o homem do barro da terra, e inspirou no seu rosto um sopro de vida, e o homem tornou-se alma (pessoa) vivente". (Gênesis 2: 1-2).

"Façamos o homem à nossa imagem e semelhança, e presida aos peix
es do mar, e às aves do céu, e aos animais selváticos, e toda a terra, e a todos os répteis, que se movem sobre a terra. "E criou Deus, o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, e criou o varão e fêmea". (Gênesis 1: 1-2).

"Mandou, pois, o Senhor Deus um profundo sono a Adão; e, enquanto ele estava dormindo, tirou uma das suas costelas
, e pôs carne no lugar dela. [...]. "E Adão disse: : Eis aqui agora o osso de meus ossos e a carne da minha carne; ela se chamará Eva, porque do varão foi tomada". (Gênesis 2: 2-3).

Pintura retratando Adão e Eva, os quais segundo as religiões abraâmicas teriam sido os dois primeiros seres humanos criados.
Al-corão

"Criamos o homem de argila, de barro modelável". (Verso 26. 15ª Surata - Al Hijr).

"Recorda-te de quando o teu Senhor disse aos anjos: Criarei um ser humano de argila, de barro modelável". (15ª Surata - Al Hijr).



"E tu, ó Adão, habita com tua esposa o Paraíso! Desfrutai do que vos aprouver; porém, não vos aproximeis desta árvore, porque estareis entre os transgressores". (Verso 19. Surata - Al’araf - Os Cimos).


Mitologia grega

Prometeu portando o fogo
Criação do homem: Antes de Zeus e os demais deuses governarem o mundo, este era governado pelos Titãs. Os titãs eram filhos de Gaia (terra) e de Urano (céu). Alguns dos titãs foram responsáveis pela criação do mundo, desde as montanhas, os oceanos, rios, florestas, animais, etc. Após a guerra travada entre Cronos o deus do tempo e líder do titãs, contra seu filho Zeus e os demais deuses, no fim, os deuses venceram a batalha e grande parte dos titãs foram trancafiados na prisão infernal chamada de Tártaro. Os poucos titãs que ficaram do lado dos deuses foram poupados de terrível destino. Entre eles estavam três irmãos: Atlas, Prometeu e Epimeteu. Atlas fora condenado a carregar o céu ou o mundo nas costas. Quanto a Epimeteu e Prometeu, estes foram incumbidos de criarem novos seres para a natureza. Epimeteu criou algumas plantas e animais, porém Prometeu decidiu criar algo diferente de todos os animais que habitavam este mundo. Ele queria criar um ser que falasse e pensasse. Sendo assim, Prometeu moldou do barro uma criatura a imagem e semelhança dos deuses, e soprou em seu corpo o sopro da vida. Ele chamou esta criatura de homem. 

Pandora abrindo a caixa

Criação da mulher: Prometeu vendo que sua criação não conseguia se desenvolver devido aos perigos da natureza e dos animais selvagens, decidiu fazer algo para ajudar os homens (obs: ele criou vários homens não apenas um). Então ele decidiu roubar o fogo dos deuses e o entregou aos homens. Com isso os homens passaram a se desenvolver e progredir. Mas, como pagamento por tal crime, Zeus condenou Prometeu a ficar acorrentado no Monte Cáucaso tendo Ethon (era uma águia ou abutre) lhe devorando o fígado por todos os dias, até o fim de seu castigo. No entanto a questão estava feita. Os homens agora possuíam o conhecimento do fogo, e Zeus temia que o ser humano se voltasse contra as ordens dos deuses (este é um ponto um complicado de se entender, pois se os deuses eram imortais e tinham poderes, porquê teriam medo dos homens?). Então ele decidiu agir, criar alguma forma de enganar os homens, de iludi-los. Então Zeus fora procurar Hefesto, o deus do fogo e da forja. Ele pediu que Hefesto criasse uma criatura que fizesse os homens "perderem a cabeça". Hefesto como exímio artesão e ferreiro que era, moldara do barro uma criatura oposta ao homem, a mulher. Com a criação desta mulher, alguns deuses a presentearam:

  • Afrodite lhe concedeu beleza, e a arte da sedução.
  • Hera lhe ensinou a se tornar uma dona de casa, a cuidar do marido e dos filhos.
  • Atena lhe deu inteligência, prudência e paciência.
  • Poseidon lhe presenteou com um colar de pérolas.
  • Hermes lhe concedeu os pensamentos da traição e da mentira.
  • As Musas lhe ensinaram as artes de cantar e dançar.
  • Zeus lhe dera uma caixa ou baú.
Hefesto a chamou de Pandora. O que significa "a bem dotada" ou "a que possui todos os dons". Pandora se casou com Epimeteu. E lhe foi dada a guarda da caixa que Zeus lhe presenteou. No qual estavam guardados todos os males, e Zeus disse que ela nunca deveria abrir esta caixa.

Mitologia nórdica


Num dia, enquanto os três deuses: Odin, Hoenir e Loder caminhavam por uma praia, avistaram boiando nas águas do mar, duas árvores. Algumas versões dizem que eram freixos outras que seriam carvalhos. Os deuses decidiram criar destas árvores o seres humanos. De uma árvore eles criaram o homem, e lhe deram o nome de Ask, Askr ou Askur. E da outra eles criaram a mulher, e a batizaram com o nome de Emtla ou Embla. Os dois se tornaram os primeiros de sua espécie e foram levados para habitar a terra de Midgar, posteriormente consagrada como a "terra dos homens". 

Ask e Emtla 
No Ragnarok, o qual seria o fim dos dias ou o apocalipse, os deuses, os gigantes, os homens e os demais seres lutariam em uma grande guerra que levaria ao colapso do mundo e da ordem. Mas, no fim, após a guerra terminar e a ordem ser restaurada, um homem e uma mulher que se esconderam na árvore que sustenta o mundo, a Yggdrasil, seriam os responsáveis por gerar uma nova raça humana.

Mitologia Iorubá

O povo iorubá, residentes do continente africano, principalmente nas regiões que compreendem hoje a Nigéria e o Benin, contam desde um passado remoto, a criação do homem a partir das mãos dos orixás. Tudo começou quando Olodumaré, o deus supremo, criou o universo, então o mesmo enviou o orixá Obatalá (também conhecido como Oxalá) para criar o mundo, contudo, Obatalá teria caído em um sono profundo após se embriagar, com isso, Olodumaré incumbiu a orixá Odudua de criar o mundo. Odudua cumpriu com sua missão e criou a terra, as plantas e os animais, então quanto Obatalá despertou de seu sono, ficou inconformado por ter perdido seu trabalho para Odudua. A fim de evitar confusões, Olodumaré incumbiu Obatalá de criar o ser humano, o mesmo aceitou o dever, então tentou criar o homem a partir de diversos elementos, mas todas as tentativas acabaram fracassando, até que a orixá Nanã vendo a tristeza de Obatalá, lhe deu uma ajuda, ela lhe ofereceu barro ou lama. No fim, Obatalá conseguiu criar a raça humana e assim povoou o mundo com esta, moldando o ser humano do barro e lhe dando o sopro da vida. 

Mitologia suméria

Os deuses Enlil (deus do vento e das t
empestades) e Enki (deus da água doce e da sabedoria) criaram do barro o homem e a mulher. Eles chamaram o homem de Adamu. Na Epopeia de Gilgamesh, poema épico de origem suméria, possui uma descrição da criação de um ser humano do barro. A deusa Araru criou Enkidu.

"A deusa então concebeu em sua mente uma imagem cuja essência era a mesma de Anu, o deus do firmamento. Ela mergulhou as mãos na água e tomou um pedaço de barro; ela o deixou cair na selva, e assim foi criado o nobre Enkidu".
(OLIVEIRA, 2001, p. 62).

Mitologia maia 


Uma das páginas do Popol Vuh 
Alguns mitos da criação do povo maia foram compilados no livro Popol Vuh, um dos poucos livros maias que sobreviveram até os dias atuais. Durante a colonização espanhola na América Central, os milhares de livros maias que foram encontrados, foram considerados pela Igreja como sendo heréticos, e contendo a palavra do Diabo. Sendo assim, tais livros foram queimados aos montes. E hoje em dia só algumas partes do Popol Vuh e de outros livros, conseguiram resistir a este terrível ato. Em suma, os poucos livros que sobraram foram compilações para o espanhol. Nos mitos de criação do homem, inicialmente os deuses criaram o ser humano do barro. Porém quando chovia, o barro amolecia e se desfazia em lama. Então os deuses decidiram utilizar outra matéria. Eles criaram os homens na segunda vez, os fazendo da madeira. Estes tais "homens de madeira" eram mais resistentes que os anteriores, porém eles não conseguiam se movimentar direito, e passaram a ser mais arrogantes do que seus antecessores. Os deuses os destruíram e tentaram mais uma vez. Na terceira vez, os deuses derramaram seu sangue sobre espigas de milho, e criaram quatro homens de quatro espigas. Destes quatro homens eles tomaram uma parte de sua carne, de seus ossos e de seu sangue e criaram para cada um uma mulher. Estes oito seres humanos passaram a se multiplicar e povoar a terra. Na concepção maia, os deuses criaram os seres humanos para que estes os adorassem e fossem seus servos.

Mitologia inca


Manco Capac
Entre os incas antigos havia vários mitos da origem do homem. Um destes mitos diz que os seres humanos foram criados da argila, pelo deus Viracocha (Apu Kun Tiqsi Wiraqutra no dialeto inca). "[...] a divindade suprema inca Viracocha fez pessoas de argila, pintando-as com roupas cujos desenhos coloridos distinguiam uma nação da outra. Ele deu a cada grupo sua própria língua e costumes, então soprou o sopro vital sobre eles e os enviou para a terra ordenando que emergissem das cavernas, lagos e montanhas". (SAUNDERS, 2005, p. 186). Em outra versão, os homens se originaram dos filhos e filhas dos deuses Apu Inti (sol) e Mamma Calle (lua). Os irmãos e irmãs que eram ao mesmo tempo marido e mulher, foram enviados para a terra para criar os animais, as plantas, elementos da natureza, e acabaram tendo os seres humanos que foram seus filhos. Diz o mito, que os irmãos tinham inveja um do outro, depois de uma série de problemas, só um irmão conseguiu sobreviver. Este se chamava Manco Capac. Os incas atribuíam a Manco Capac a fundação da cidade de Cuzco a qual se tornou a capital do Império Inca. Para eles, Manco Capac teria sido o seu primeiro imperador. De fato entre a cultura inca, o imperador era considerado como sendo um filho do sol. 


Mitologia chinesa 

Para os antigos chineses os responsáveis pela criação da humanidade fora a deusa Nu Kua ou Nuwa e seu irmão-marido Fu Xu. Ambos os deuses são retratados em muitas vezes, tendo a metade do corpo na forma de uma serpente e a outra metade na forma humana. Quanto a questão da origem do homem, existe diferentes histórias. Em umas se diz, que os dois criaram a humanidade antes do dilúvio. Em outra se diz que eles recriaram os homens após o dilúvio, os criando do barro.


A deusa Nu Kua e o deus Fu Xu

Evolucionismo biológico

Basicamente o evolucionismo biológico consiste em algumas teorias na qual sugerem que os seres vivos não seriam imutáveis assim como sugerem algumas religiões, mas defende que os seres vivos estariam sujeitos a evolução causada por fatores externos que afetariam seus organismos, os levando a se modificarem no intuito de se adaptarem ao meio. Entretanto, alguns cientistas ressalvam que tais modificações ou mutações, necessariamente não seriam fatores de adaptação, mas sim de anomalias ou de doenças. Por exemplo, altos índices de radiação geram mutações que consistem em anomalias que necessariamente não implicam em um fator evolutivo, mas sim numa deformidade patológica, que poderá causar a infertilidade, a morte ou a problemas de doenças para os descendentes. 

Experiências com mutação são realizadas na tentativa de se desenvolverem células mais resistentes a certos tipos de doenças, ou até mesmo na tentativa de se encontrar a cura para algumas doenças como os cânceres, doenças degenerativas, etc., como também se tentar desenvolver o potencial físico do corpo humano. Diferentes dos super-heróis de histórias em quadrinhos, experimentos com mutações induzidas não tiveram sucesso nos seres humanos.

Todavia, o evolucionismo biológico nos dias de hoje se baseia basicamente em três pilares: a Teoria da seleção natural, a Teoria da deriva genética (modificações aleatórias da frequência alélica entre populações ao longo do tempo)  e a Teoria do fluxo de genes (transmissão de material genético entre populações da mesma espécie ou de espécies aparentadas). Basicamente estas três teorias apontam que a evolução se dar através de mudanças no corpo de um organismo, onde tais mudanças genéticas serão transmitidas para seus descendentes podendo contribuir ou não para o seu desenvolvimento genético no intuito de gerar transformações significativas em seus organismos. 

Pois geralmente se pensa que a evolução é ininterrupta, por exemplo: digamos que um pássaro de penas azuis, gerou um descendente de penas esverdeadas, isso seria uma mutação, porém esse descendente ao ter seus filhos, não significa que todos nascerão com essa mutação, entretanto, um poderá nascer com tal mutação, mas seus descendentes talvez não a tenham, porém os netos desta terceira geração poderão apresentar tal mudança, e alguns desses novos indivíduos poderão ter penas mais claras ou mais escuras, e consequentemente, assim por diante, até que dado momento, a cor verde se torne predominante sobre a cor azul, ou novos graus de coloração azul ou verde surjam. Na concepção geral, a evolução aconteceria de forma ininterrupta, ou seja, não haveria falhas ou ininterrupções no processo evolutivo.

A medida que tais mudanças como dado no exemplo anterior se tornarem mais comuns, ao ponto que aqueles pássaros já nascerão com penas verdes e seus descendentes também, significa que a mutação original progrediu para uma característica comum do DNA daquela espécie. E se tais pássaros verdes migrarem para outra região ou permanecerem na mesma região, mas se reproduzirem com uma espécie parente, poderão gerar híbridos e se os híbridos forem férteis os mesmos poderão gerar uma nova espécie. Pelo contrário, se um grupo desses pássaros verdes acabarem ficando isolados geograficamente, e o terreno for relativamente diferente um do outro, a mesma espécie poderá com o tempo originar novas espécies, porém possuindo um antepassado em comum. Da mesma forma que isso vale para a cor das penas, também vale para outras características. 

hibridização, os tipos de isolamento (temporal, gamético, comportamental, mecânico e geográfico), o cruzamento assexuado e sexuado, mutações naturais, mudanças climáticas, cooperação entre espécies, especiação, etc., são fatores naturais que implicam no surgimento de novas espécies. 

Algumas espécies podem ter surgido do cruzamento de espécies em comum, como o cavalo e o jumento, gerando a mula; podem surgir a partir do isolamento geográfico, levando a especiação (desenvolvimento de características físicas ou celulares que contribuam para a adaptação de tal ser ao habitat que ele vive, nesse caso uma mesma espécie pode sofrer diferentes especiações) como o caso dos tentilhões de Darwin das Ilhas Galápagos, ou a necessidade de animais terrestres se adaptarem a um meio aquático como fora o caso das baleias, golfinhos, focas, peixe-bois, lontras, etc. 

Espécies parasitárias como vermes tenderam a sofrer mudanças a medida que se adaptaram aos organismos de diferentes animais ou plantas, podendo gerar novas espécies ou não. Por outro lado, o caso de algumas espécies de tubarões e de rêmoras que convivem junto, onde a rêmora aproveita as sobras deixadas pelos tubarões e ao mesmo tempo o livra de parasitas; o tubarão a protege de outros predadores. Na biologia isso é chamado de comensalismo, e seria considerada uma evolução cooperativa (ocorre entre duas espécies que se ajudam de forma mútua) 

Mudanças climáticas levaram ao crescimento de pelos ou a diminuição de pelos; mudanças no relevo de florestas para campos por exemplo, ou de climas temperados para frio ou quentes, levaram adaptação de espécies para o novo terreno e clima, os levando a ter que desenvolverem habilidades para sobreviver. Os ursos polares evoluíram de antigas espécies de ursos pardos que passaram a viver em climas mais frios. Por sua vez os elefantes evoluíram de ancestrais próximos dos mamutes os quais costumavam a viver em climas temperados e frios, por sua vez os elefantes quando passaram a habitar climas mais quentes, perderam suas grossas camadas de pelos.  

Quando Charles Darwin revelou ao mundo em 1859 a sua teoria da seleção natural, ele não afirmava que sua teoria era a verdade concreta e tão pouco dissera que o Criacionismo era falso, Darwin apenas apresentou uma nova visão de como os seres vivos teriam surgido. Basicamente a teoria da seleção natural defende que mudanças que contribuam para a sobrevivência de um individuo de uma dada espécie, farão que tal ser tenha maiores possibilidades de sobreviver e logo possa se reproduzir (isso se ele for fértil), e as características que o tornaram "forte" para sobreviver e se desenvolver serão transmitidas geneticamente para seus descendentes, entretanto, nem todos os descendentes terão a mesma aptidão de seu progenitor ou conseguirão sobreviver, mas aqueles que conseguirem se reproduzir passarão para a frente os genes. 

No entanto, tal descendência pode acabar sendo extinta e tal variação se perder, daí a questão de que a evolução através da seleção natural, na qual para Darwin privilegiava sempre o mais forte, o mais rápido, o mais inteligente, em si o mais adaptável,  era um processo complexo e demorado, pois a seleção natural ocorre não-aleatoriamente, e em implica numa série de fatores externos e internos. Até as teorias da deriva genética e do fluxo genético que esboçam microevoluções, apontam que a probabilidade de saber se tal variação terá efeito positivo ou negativo é muito baixa, ainda mais a longo prazo. 

Darwin alegava que estas características transmitidas, sendo recombinadas com indivíduos de outras populações ou tendo sofrido mutações naturais ou terem sido expostas a mudanças climáticas, geográficas, genéticas, etc., com o tempo poderiam ou não gerar uma nova espécie. As espécies que vemos hoje seriam o resultado de milhares ou milhões de anos de evolução e de troca de material genético.   

Embora a teoria da seleção natural seja ensinada nas escolas do mundo, e comumente seja a teoria evolucionista biológica mais conhecida no mundo, não significa que a sociedade mundial, científica ou não, seja unânime em concordar com suas afirmações. Existem livros que criticam as falhas da teoria de Darwin, e o próprio Darwin em A Origem das Espécies, não desmentia que haviam brechas em sua teoria, sendo uma delas a questão da falta de evidências fósseis das espécies intermediárias, pois se a evolução seria um processo contínuo, onde estão os fósseis destas espécies intermediárias? Das espécies que foram extintas no caminho evolucionário? O famoso "elo perdido" dos primatas, a espécie que teria sido responsável pela separação dos hominídeos dos demais primatas nunca fora encontrado, embora alguns aleguem que já o fora. 

Outro problema que Darwin não conseguiu explicar com sua teoria, é a questão da existência de órgãos ou estruturas vestigiais, como o caso de asas em aves que não voam. Se a principal função da asa é proporcionar o voo, mas algumas espécies de pássaros se adaptaram a vida plenamente terrestre sem necessitar do voo, porque mesmo assim continuaram a "evoluírem" com asas? Os dentes sisos ou terceiros molares nos seres humanos, são outro exemplo. No entanto já que suponha-se pela teoria da seleção natural que as características que não tendem a contribuir para o desenvolvimento dos seres, os aprimorando, não deveriam ser "apagadas"? Mas o que dizer das doenças hereditárias neste sentido, se são características transmitidas geneticamente mas não tendem a contribuir em favor do indivíduo? Essas são algumas perguntas que estão em aberto acerca da teoria darwiniana. 

Darwin não fora o primeiro a cogitar sobre o evolucionismo, outros estudiosos como Jean-Baptiste Lamarck (1744-1829), seu próprio avô Eramus Darwin (1731-1802) e Alfred Russel Wallace (1823-1912), o qual chegou a conclusões similares a de Darwin, tiveram a contribuir para a teoria evolucionista, a qual existe desde a Antiguidade Clássica, onde alguns filósofos gregos cogitavam a ideia de evolução, porém isso é assunto para outro texto.

O que nos interessa agora é o fato de que Darwin não mencionou a evolução do homem em A Origem das Espécies. Depois das duras críticas que ele recebera na época, apenas anos depois é que ele sugeriu a hipótese de que o ser humano teria passado por um processo evolutivo, e tal teoria fora apresentada em seu livro, A descendência do Homem e Seleção em relação ao Sexo (1871). Nesse livro propriamente Darwin inicia sua teoria a respeito da origem do ser humano, dizendo que o ser humano se originou de um ancestral símio comum aos antepassados dos chimpanzés, gorilas e dentre outros dos grandes primatas. Mas, em algum período do passado, estes ancestrais tomaram seu próprio rumo na cadeia evolutiva. No quadro abaixo está esquematizado o exemplo mais comum utilizado para representar os antepassados hominídeos. 


Neste ponto em uma cadeia evolutiva de milhões de anos que se inicia com o Austrolopitecus, vai sofrendo ao longo das eras uma evolução em diferentes etapas e direções. Devo deixar claro que houveram diferentes espécies de Austrolopitecus, mas, foi a partir de uma destas espécies que evoluiu o Homo habilis, e posteriormente outras espécies destes até originar o Homo erectus. O Homo erectus fora o primeiro hominídeo a abandonar a África, migrando para a Europa, Ásia e Oceania. Das variações sofridas por estes em diferentes lugares e climas, originou o Homo neanderthalensis e o Homo sapiens. O Homo sapiens sapiens é atualmente a nossa espécie, e especula-se que tenha surgido entre 150 a 100 mil anos atrás na África. O Homo sapiens sapiens teria evoluído de uma espécie do Homo sapiens

Teoria dos antigos astronautas

Na teoria dos antigos astronautas ou dos astronautas do passado, toma-se como principal foco de debate e análise, a possível influência extraterrestre no passado da história humana, que pôde de diversas formas ter contribuído para o desenvolvimento das antigas civilizações, de culturas, de saberes, e até mesmo da própria origem humana.


Livro como, Eram os deuses astronautas? de Erich von Däniken, seu grande best-seller, e uma gama de seus outros trabalhos, contribuiu a partir da década de 60 do século XX a difundir as ideias que visitantes extraterrestres poderiam ter estado na Terra há milhares de anos. A partir disso, vários outros autores começaram a procurar a respeito e a colaborar para aumentar os fatos e evidências que comprovassem tal teoria. Um outro livro que posso sugerir para quem esteja interessado neste assunto é Gênesis Revisitada e o Décimo Segundo Planeta de Zecharia Stichin. No qual o pesquisador, sugere a partir de estudos feitos principalmente em antigos textos sumérios, que levantam a possibilidade na qual os seres humanos foram criados por seres extraterrestres.

Mas, deixando de lado esta introdução, vamos direto ao assunto. De acordo com os autores desta teoria, o Homo sapiens sapiens na realidade poderia ser um hibrido, ele seria na verdade uma experiência genética realizada por alienígenas utilizando o seu DNA misturado com o DNA do Homo sapiens, o qual já existia no planeta. Mediante a sua avançada tecnologia, estes seres após anos de estudo conseguiram criar uma forma hibrida que tivesse capacidade de se reproduzir, diferente no que vemos em espécies hibridas de cavalos com jumentos ou em outros animais. 
Como exemplo, o Movimento Raelianismo defende que nós teríamos sido criados por seres extraterrestres chamados Elohim

No entanto o que mais espanta a quem ler isso, é o fato de que tais seres teriam que ter uma grande semelhança genética com a nossa para que tal fato fosse viável. E é nesse ponto que a religião entra no meio. Para os adeptos desta teoria, os "deuses" seriam na verdade seres de outro planeta; então quando se fala que os "deuses" criaram os homens a sua imagem e semelhança, fica evidenciado que tais "seres" poderiam de alguma forma ter uma aparência um tanto parecida com a nossa, ou como alguns adeptos da teoria sugerem, nós é que teríamos semelhança com eles, já que teoricamente seriamos o "produto" e eles a "origem".

Sendo assim, encerrarei por hora este texto com três perguntas que ainda perduram nas mentes dos homens.

De onde viemos?

Quem somos?

Para onde vamos? 


NOTA: O conceito de evolucionismo pode ser também aplicado ao desenvolvimento social, da economia, da política, do conhecimento, da cultura, etc. Daí optei em falar de evolucionismo biológico ou também pode ser chamado de evolucionismo genético. 
NOTA 2: O título completo do livro de Charles Darwin era: Sobre a Origem das Espécies por Meio da Seleção Natural ou a Preservação de Raças Favorecidas na Luta pela Vida.

Referências Bibliográficas: 

BULFINCH, Thomas. O livro de ouro da mitologia: histórias de deuses e heróis. 34 edição, Rio de Janeiro, Ediouro, 2006. 
SAUNDERS, Nicholas. Américas Antigas: as grandes civilizações. São Paulo, Madras, 2005.
DARWIN, Charles. A Origem das Espécies. Tradução de André Campos de Mesquita, São Paulo, Editora Escala, 2009. 
MAYRErnst Isto é biologia. São Paulo, Companhia das Letras, 2008.
MARGULIS, Lynn; SAGAN, Dorion. O que é vida?. São Paulo, Ed. Jorge Zahar, 2002. 
A Epopeia de Gilgamseh. Tradução de Carlos Daudt de Oliveira. São Paulo, Martins Fontes, 2a edição, 2001.
Bíblia Sagrada. São Paulo, Edições Paulinas, 1975. 
Grande Enciclopédia Larousse Cultural. v. 5, São Paulo, Nova Cultural, 1998.
Grande Enciclopédia Larousse Cultural. v, 7, São Paulo, Nova Cultural, 1998.
Grande Enciclopédia Larousse Cultural. v, 8, São Paulo, Nova Cultural, 1998.
Grande Enciclopédia Larousse Cultural. v, 12, São Paulo, Nova Cultural, 1998.

Referências Audiovisuais:
REINL, Harald. Eram os deuses astronautas? [documentário-vídeo]. Produção de Manfred Barthel, direção de Harald Reinl. Alemanha, 1972. 1 DVD/NTSC. 98 min. Color. Som.
BURNS, Kevin. Alienigenas do Passado: a série (Ancients Aliens)[documentário-vídeo]. Produção History Channel, direção de Kevin Burns. Estados Unidos, 2009. 12 DVD/NTSC, 45 min. Color. Som.

Referência da internet:
http://www.arresala.org.br/not.php?op=84. Acessado em 8 de agosto de 2010.

LINKS:
http://www.arresala.org.br/not.php?op=84 (Alcorão)
http://biociencia.org/index.php?option=com_content&task=section&id=8&Itemid=47 (Projeto Evoluindo)
http://www.reocities.com/gilson_medufpr/
http://www.scb.org.br/ (Sociedade Criacionista Brasileira)
http://www.evo.bio.br/layout/Crias.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Teoria_dos_astronautas_antigos (Wikipédia)
http://www.rael.org/(Raelianismo site oficial)
http://www.evdaniken.com/ (inglês)

9 comentários:

brunaabora disse...

Documentário - A Origem do Homem - Dublado - Muitos cientistas acreditam que os primeiros seres humanos surgiram na África Oriental.
Se isso for verdade, por que os humanos são encontrados em quase todos os lugares do mundo? - http://mcaf.ee/a0ds4

Leandro Raliv disse...

O documentário não está errado, de fato de acordo com a ciência a humanidade surgiu na África, mas o fato de haver seres humanos em tempos remotos por vários cantos do mundo, esta associado as migrações populacionais, pois devemos nos lembrar que por vários séculos, os humanos foram nômades, logo essa tendência ao nomadismo, levou inicialmente o Homo erectus a deixar a África, e depois as espécies de Homo sapiens em seguida.

MÁRIO XAVIER STEINHOFF disse...

MÁRIO XAVIER STEINHOFF diz: Muito interessante esta diversidade de teorias e "teorias" ou mitos. Sinto, porém, a falta da teoria de Tilhard de Chardin, um cientista, antropólogo, exposta em se livro "O Fenômeno Humano". Esta omissão teria sido por preconceito, por ser T.Chardin um padre?

Leandro Raliv disse...

A omissão não foi por preconceito, mas sim por desconhecimento mesmo. Existem muitas teorias sobre a origem do homem, logo, desconheço várias. Mas, já que menciona-se essa teoria, irei pesquisá-la.

Lembrando que a teoria do Big Bang foi proposta pelo padre Georges Lemaítre.

Victot Hugo Santos disse...

O curioso é que em vários mitos e lendas a criação do homem se origina do barro ou seja, será que todos eles inventaram a mesma história na minha opinião acho que o homem foi criado da terra mas não do barro em si, e aperfeiçoado geneticamente imagem semelhança do seu criador

Leandro Raliv disse...

Pode parecer coincidência que vários mitos da criação do homem remontem a ele ter sido moldado do barro, todavia, trabalhar com tal questão é bastante complexa. Os mitos não são datáveis, ou seja, não se tem como saber quando um mito começou, onde surgiu e quem foi o responsável ou responsáveis por difundi-lo. Além disso, muitos mitos surgiram antes da escrita, logo foram passados oralmente durante vários anos. Dizer que um povo saiu transmitindo tais crenças para outro povo é complicado, pois não tem como se datar e rastrear isso.

No caso dos romanos, eles não copiaram propriamente a mitologia dos gregos; os romanos já possuíam seus deuses e mitos, eles fizeram apenas uma mistura com os mitos gregos.

Por outro lado, é importante saber que a terra num ponto de vista simbólico, está associada com a vida, com o nascimento, o crescimento, sendo assim, pegando-se essa simbologia, não parece estranho em se falar que a espécie humana tenha sido criada a partir da terra desse "elemento de vida".

Ananias Santos disse...

Há realmente semelhanças entre os mitos, principalmente quanto a criação do homem como formado do barro e inflado com o "sopro de vida". E podemos entender isso de duas formas: ou este fato é verdadeiro, historicamente, com variações de cultura pra cultura; ou o homem concluiu isso observando a natureza, com todas as limitações tecnológicas da época, e, pela intuição, afirmou que o homem foi formado do barro ou de algum elemento da natureza. Como a realidade é basicamente comum a todos, as histórias podem assim ter similaridades.

Genes Iconi disse...

❝Outro problema que Darwin não conseguiu explicar com sua teoria, é a questão da existência de órgãos ou estruturas vestigiais, como o caso de asas em aves que não voam. Se a principal função da asa é proporcionar o voo, mas algumas espécies de pássaros se adaptaram a vida plenamente terrestre sem necessitar do voo, porque mesmo assim continuaram a "evoluírem" com asas? Os dentes sisos ou terceiros molares nos seres humanos, são outro exemplo. No entanto já que suponha-se pela teoria da seleção natural que as características que não tendem a contribuir para o desenvolvimento dos seres, os aprimorando, não deveriam ser "apagadas"? Mas o que dizer das doenças hereditárias neste sentido, se são características transmitidas geneticamente mas não tendem a contribuir em favor do indivíduo? Essas são algumas perguntas que estão em aberto acerca da teoria darwiniana.❞

_________

Mas isso não dá margem pra explicar o criacionismo, muito menos o cristão, onde deus teria criado todos seres e viu que tudo era bom. Se há resíduos e falhas genéticas isso faz parte. Talvez Darwin tenha errado, mas vocês tem que levar em consideração o que ele tinha disponível na época dele, assim como em épocas mais antigas na Grécia, filósofos formulavam suas hipóteses, sendo alguma refutadas tempos depois mas não desmereceram esse filósofos por completo.

Já na religião, mais especificamente cristã, se afirma algo sem dar espaço pra alguém questionar, impondo como verdade prévia sem chance pra testes e refutações.

Leandro Vilar disse...

Genes Iconi seus comentários estão certos. Eu li há alguns anos a Origem das Espécies e o próprio Darwin apontava tais questões que você fez menção, como sendo causas que ele ainda não havia descoberto solução. As pessoas criticam muito o trabalho dele, apontando vários erros, mas pouco sabem que ele próprio já havia ponderado todas essas lacunas e falhas. Darwin não era tolo neste ponto. Ele reconhecia que sua teoria não era infalível.

Quanto a questão dos cristianismo, de fato, os mais conservadores não irão abrir mão da versão bíblica. Mas isso também se nota em outras religiões. O curioso é que recentemente o papa Francisco disse que acredita no Big Bang e na teoria de Darwin. Para ele, tais teorias são outras maneiras de explicar a criação de Deus.

No entanto, isso não agradou muitos católicos e nem outros cristãos. Quer dizer que Adão veio do macaco? Ou Adão era um macaco?