Loading...

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Gênios desacreditados

Dá próxima vez que você rir ou zombar das ideias de uma pessoa, por mais excêntricas que possam ser, preste bem a atenção ao se fazer isso. Por que nunca se sabe o que o futuro nos reserva.

O que eu irei expor a seguir é um relato verídico de algumas pessoas que foram zombadas, ignoradas, desacreditadas e até mesmo ridicularizadas. No entanto estas pessoas se tornaram algumas das figuras mais criativas e grandiosas da história. E para começar minha relação de nomes, citarei uma das mentes mais geniais da história da humanidade, Albert Einstein.

Albert Eins
tein (1879-1955). Consagrado como sendo um sinônimo de "gênio", se tornou um dos cientistas mais influentes e conhecidos e brilhantes da história. Suas pesquisas nas áreas da relatividade, do efeito fotoelétrico e da energia atômica (pena que as usaram para desenvolver armas), proporcionaram um grande progresso cientifico no século XX. Muitos não sabem o que tais pesquisas nos geraram contribuições; mais de fato, se não fosse por algumas das descobertas de Einstein não poderíamos hoje estar lendo este texto diante desta tela, ou acessar a Internet, ou se quer se pensar em computadores, celulares, robôs, satélites, aparelhos de GPS, câmaras fotográficas, e dentre outras engenhocas eletrônicas do século XXI. Mas ironicamente Einstein não fora visto como sendo esta mente brilhante e genial; mesmo que em alguns momentos ele fosse chamado de louco, este chegou a ser desacreditado por seus professores. Em um dado momento da infância de Einstein, ele nunca foi considerado um aluno exemplar, tirava notas boas em matemática, física e latim, mas era regular nas demais disciplinas, e as vezes criticava o sistema de ensino das escolas que estudara. Certa vez um dos diretores destas escolas, chegou para o seu pai, e disse que o filho dele "não seria ninguém na vida", que não teria sucesso em coisa nenhuma.

Ludwig van Beethoven (1770-1827). De longe fora consagrado como um dos maiores compositores da história. Porém nem sempre fora assim. Beethoven ainda jovem, era visto apenas como um rapaz que sabia tocar bem no piano as célebres composições de Mozart, Bach e de outros bons compositores. De fato ele não nascera com o talento, como fora Mozart (desde os cincos anos de idade ele se mostrara um gênio para a música) este teve que "ralar duro" para ser reconhecido. Em 1794 com 24 anos, Beethoven já era considerado um dos 40 mais brilhantes músicos de sua época. No entanto os problemas só estavam por vir. Enquanto ele ganhava fama pela Europa, aos 26 anos o problema de surdez o acometera. Beethoven estava ficando surdo. Quando tal noticia se espalhou, muitos disseram que este seria o seu fim como músico. Em algumas cartas ele relata tal enfermidade. Porém mesmo em depressão, ele não sei deixou ser vencido pela doença. Entre 1804 e 1808, ele compôs a Quinta Sinfonia ou Sinfonia do Destino, nessa época ele estava parcialmente surdo. No entanto mesmo assim seria posteriormente quando ele já estava quase que totalmente surdo (alguns dizem que já estava surdo por completo), em 1824 ele completa a sua mais conhecida e famosa obra, a Nona Sinfonia, a qual lhe consagraria na história da música. Mesmo com o problema da surdez, Beethoven não deixou de tocar e compor, sua paixão pela música era tanta que os males que o acometeram não o venceram.

Louis Braille (1809-1852). Muitos não devem conhecer este homem, mas talvez se lembrem vagamente de seu sobrenome, Braille. Se não conseguiram associar tal nome, então lhes darei a resposta. Louis, foi quem
desenvolveu o código Braille. Um sistema de escrita e leitura, no qual permite os deficientes visuais poderem ter a capacidade de ler. É inegável que tal criação fora de grande contribuição para todos que possuem esta deficiência. E o próprio Braille soube como era viver com isso. Braille nasceu na França e fora filho de um artesão. Quando este tinha cerca de 3 anos de idade, estava brincando na oficina de seu pai, quando acabou se ferindo com uma ferramenta pontiaguda; ele acabou ferindo o olho esquerdo. E devido a falta de cuidados médicos mais especializados, seu ferimento infeccinou e atingiu o olho direito, o qual acabou por lhe tornar cego completamente. Hoje em dia, uma pessoa deficiente visual já possui muitos problemas a se enfrentar no dia-a-dia do século XXI, mesmo com nossa tecnologia atual. Imagine uma pessoa do século XIX e até mesmo antes disso?

Pelo fato do jovem Braille ter ficado cego, muitos já diziam que não restava mais nada para ele fazer na vida, viveria o resto de sua vida dependendo dos outros. Mesmo assim seus pais não desacreditaram de seu filho. Aos 10 anos ele entrou no Instituto Real de Jovens Cegos de Paris, onde em pouco tempo se tornou um dos alunos mais exemplares do instituto.

Nessa época já existia, os estudos de se criar uma escrita para cegos e para fins militares, em batalhas noturnas. Em 1821 ele conhece um sistema de códigos desenvolvido pelo exército francês. Interessado em tal sistema ele passa os anos seguintes o estudando, até que aos 15 anos de idade cria o seu próprio sistema de caracteres, conhecido posteriormente como Código Braille.

Mesmo assim o seu sistema seria muito criticado por parte de alguns e até ignorado por outros. Como um adolescente cego poderia ter criado um sistema de caracteres que fosse efetivamente útil? Somente muitos anos depois, é que a invenção de Braille fora realmente valorizada. Mesmo tendo ficado cego, ele ainda buscou uma forma de possibilitar que aqueles que sofriam do seu mesmo mal, pudessem possuir outra forma de se "enxergar" o mundo, sendo esta forma, atráves dos livros.

Leonardo Da Vinci (1452-1519). Da Vinci é um dos homens mais conhecido
s da História da Humanidade. Desde suas belas pinturas, até suas invenções a frente de seu tempo. É considerado um dos grandes gênios da Renascença. Um verdadeiro talento em várias áreas diferentes dos campos de estudos humanos. Contudo o que irei relatar aqui não será a respeito de sua genialidade em meio a engenharia, anatomia, matemática, etc. Mas sim quanto a respeito ao campo da arte. A Mona Lisa, talvez a obra de arte mais famosa do mundo, levou anos para ser concluída por Da Vinci. Mas, no inicio talvez seria inimaginável que um rapaz como ele, pudesse pintar algo tão belo e perfeito. Em 1469, ele consegue ingressar no ateliê de Andrea del Verrocchio, porém havia um problema, na época que entrou, ele tinha por volta dos dezessete anos, sendo assim muitos disseram que ele estava velho para se tornar aprendiz. Já que estes começavam seus estudos, bem mais jovens. Mesmo assim, Da Vinci não se deixou se desmotivar.

"Leonardo sabia que tinha que correr atrás do tempo perdido. Deu certo: apenas três anos depois, aos 20 anos, ele já era oficialmente reconhecido como mestre pela guilda de pintores de Florença". (BBC, Revista, 2009, p-40).

Mesmo que não se saiba se realmente isso veio ocorrer quando ele tinha apenas 20 anos, é inegável que posteriormente sua fama como artista seria aplaudida por todos. Se Da Vinci tivesse desistido de seus sonhos por causas dos outros, o mundo não iria conhecer o talento desta mente brilhante.

Caio Júlio César (100-44 a.C). César é uma das figuras mais conhecidas e importantes da história da Roma Antiga. Foi um ditador, grande general, conquistador, um homem do povo, foi consagrador o "
Pai da Pátria", foi invejado, assassinado, e por fim glorificado. Em meio a todos estes motivos, já postos, fica difícil de se imaginar que ele algum dia fora zombado ou fora ignorado. Mas na verdade isso realmente aconteceu. Quando este ainda era jovem, a República Romana passava por sérios problemas. O ditador Sula o qual governava na época, era inimigo do tio de César, Caio Mário. Sula ficou conhecido por ter ordenado a perseguição, a morte e o confisco de várias pessoas apontadas por ele, como sendo traidores do Estado e seus inimigos. Mário conseguiu fugir a tempo dos homens de Sula, mas quanto a César este acabou sendo pego em casa, porém Sula, na época disse que este jovem rapaz, poderia ser livre, seria enviado para o exterior para servir no exército. Ele não aparentava ser uma ameaça, e logo iria morrer no campo de batalha mesmo. Então deixou que ele fosse embora. Relatos, apontam que cerca de 4 mil pessoas foram acusadas por Sula, e grande parte destes foram assassinados ou exilados. César acabou se revelando um grande guerreiro e comandante. Tal fama iria eclodir nos anos seguintes, promovendo Júlio César como um grande lider.

Genghis Khan (1167-1227). De fato Genghis Khan não fora um homem desacreditado, mas sim zombado, humilhado e ignorado. Não posso dizer que ele fora um gênio
no sentido que comumente atribuímos a esta palavra, no entanto ele fora um grande líder, e seus feitos contribuíram para mudar a face da Ásia para sempre. O jovem Temudjin aos nove anos de idade teve seu pai assassinado por um clã rival. Mas além deste fato, houve a questão de que seu próprio clã o traíra. Temudjin, fora largado nas estepes, junto com sua mãe e irmãos, por ser o mais velho cabia-lhe a responsabilidade de garantir a sobrevivência da família. Parte de sua vida é desconhecida, mas sabe-se que por volta dos 40 anos de idade fora consagrado Genghis Khan. Nessa época ele já havia unificado parte da Mongólia, e quando completou 50 anos já tinha formado o que hoje concebemos como um Estado mongol. Ele também fora responsável por organizar seu governo, sua economia, suas leis, sua administração, além de também ser considerado o mais bem sucedido comandante militar da História, conquistador de metade do mundo conhecido. É inegável, que uma simples criança que não aparentava poder sobreviver a rigidez da vida nas frias e estéreis estepes da Ásia Central, pôde se tornar um lider proeminente, respeitado e poderoso, ao ponto de expandir seu império por quase toda a Ásia e parte da Europa.

Michelangelo Buonarroti (1475-1564). Michelangelo, outro grande nome da arte no período da Renascença. Conhecido por ter sido um grande escultor, pelas obras de Daví e Pietá, e por ter pin
tado o teto da Capela Sistina. No entanto, por mais que seu brilhantismo fosse visto e admirado, muitos chegaram a duvidar que ele era o autor daquelas belíssimas obras. Quando Michelangelo recebera o convite de esculpir uma peça para a Basílica de São Pedro, ele criou a escultura da Pietá, a qual consiste, na representação de Maria, segurando corpo de Jesus Cristo falecido. Após o termino da obra, muitos aplaudiram o escultor, no entanto a quem dizia que aquela obra não havia sido feita por ele. Existe uma história que conta, que Michelangelo enquanto admirava sua obra, teria ouvido dizer de um peregrino que estava ali, falar que aquela obra teria sido feita por outro pessoa. Com isso naquela noite, Michelangelo entrara na Basílica, com raiva ele escreveu com uma estaca e martelo, na estátua "Michelangelo Buonarroti, florentino, fez isso". (BBC, Revista, 2009, p-42). De fato mesmo com tal acontecimento. Michelangelo só viria a ser conhecido como grande escultor e pintor anos mais tarde, depois de esculpir Davi e pintar o teto da Capela Sistina. Até então, ele não era tão famoso assim, e muitas vezes viveu a sombra de Da Vinci, seu principal rival.

Galileu Galilei (1564-1642). Foi um matemático, físico, astrônomo,
escritor e filósofo italiano. Considerado um dos grandes gênios do século XVII, época compreendida como a Revolução Científica. Suas descobertas, na física e na astronomia, contribuíram para que cientistas posteriores como Newton pudessem aperfeiçoar o saber cientifico. No entanto a vida de Galileu não fora somente feita de estudo e descobertas, este tivera sérios problemas com respeito a Igreja. Mais exatamente com o Tribunal do Santo Ofício. Galileu por ser crente da Teoria Heliocêntrica apresentada por Nicolau Copérnico, há alguns anos antes, fora acusado de heresia pela Igreja, a qual abominava tal ideia, já que ia contra o que ela pregava. Galileu teve que comparecer em algumas ocasiões, ao tribunal, sobre a ameaça de ser condenado pela Inquisição. Ele chegou a ter alguns dos seus trabalhos proibidos de serem publicados e posteriormente de serem lidos, já que passaram a compor a lista do Index. Além da Igreja descrer nesse ideias heliocêntricas que Galileu defendia. Seu trabalho, passou alguns anos relegado a obscuridade, até ser redescoberto mais tarde. E Alguns dos ensinamentos que ele descobrira, ficara esquecido por algum tempo, ou por outro lado, eram motivos de piada e chacota. Já que alguns não criam no que ele havia escrito. Mas por fim, Galileu morreu acreditando veemente no que havia estudado e descoberto.

Charles Darwin (1809-1882), um dos mais renomados naturalistas da história, que revolucionou a teoria da evolução com a sua teoria da seleção natural, nem sempre fora um aluno dedicado e estudioso como se pensa que tivesse sido. Charles nasceu em Shrewsbury, Inglaterra em 12 de fevereiro de 1809, desde criança ele já tinha ligação com as ciências, seu avô Erasmus Darwin (1731-1802) já era em sua época um médico, naturalista e homem das ciências, por mas que anos mais tarde Charles negasse que tivesse sofrido influência dos trabalhos de seu avô, ele não negou o fato de que seu interesse adveio também dali. Charles perdeu a mãe logo cedo, quando tinha um pouco mais de 8 anos, ele passou a viver com o seu pai Robert, seu irmão mais velhos, Eramus e suas quatro irmãs.
Desde cedo ele gostava de explorar a natureza, de colecionar insetos, pedras, conchas etc, sua vocação pelos estudos naturais se despertaram desde cedo. Posteriormente ele fora matriculado em uma escola na cidade de Shrewsbury, contudo Charles considerou uma total perda de tempo, e isso transpassou-se nos anos seguintes na sua vida escolar. Aos 16 anos, após reclamar dos estudos que cursara no colégio, seu pai o enviou para universidade de Edimburgo, nessa época seu irmão mais velhos estudava química, ciência que despertou o interesse de Charles, contudo ele decidira fazer sobre influência do pai, cursar medicina. De inicio ele se empolgou com as aulas de medicina, mas a partir do segundo ano, o interesse sumiu, Charles gostava de "matar aulas" para caçar, coletar objetos e espécimes, cavalgar, sair com os amigos; no terceiro ano ele viu que não tinha vocação para a medicina e desistiu do curso. Seu pai temendo que ele se tornasse um ocioso um vagabundo decidiu que o filho entraria para o seminário.

Mas antes que Charles pudesse ingressar no seminário (algo que ele não era contra, diferente do que geralmente alguns pensam que Charles Darwin fosse ateu), mas primeiro o seu pai exigiu que ele termina-se o ensino superior, para isso, meses depois ele o enviou para a renomada Universidade de Cambridge, lá Darwin como antes, "matava as aulas", gostava de assistir aulas de botânica, zoologia, gostava de sair com os amigos para jogar, cavalgar e beber, algo que ele deixa claro em sua biografia. Neste ponto Charles Darwin não personificaria o intelectual que estaria por ser, mas tudo isso mudaria com sua viagem pelo mundo abordo do Beagle.

Em Cambridge, Darwin ficou sabendo que uma expedição a volta do mundo partiria em poucos meses, e se necessitavam de um naturalista, então ele decidiu se propor a vaga, contudo seu pai era contra a ideia, mas para sorte de Charles seu tio Wedgood, um homem pelo qual seu pai tinha um grande respeito, concordou com os seus dizeres. Wedgood disse que esta viagem mudaria a vida de Charles e ajudaria a ele encontrar seu caminho na vida. Em 1831 o Beagle partiu em sua viagem que duraria 5 anos, neste tempo Darwin realizou várias observações, experiências e anotações, as quais enviou para os familiares, amigos e professores, isso contribuiu para consolidar seu prestígio como naturalista e cientista. Ao retornar em 1836, ele passou os 14 anos seguintes praticamente em casa com a esposa, filhos e filhas, trabalhando em seus diários de viagem, anotações e na futura publicação da Origem das Espécies em 1859, livro que o consagraria no mundo.


Darwin por mas, que não tenha sido um aluno exemplar, ele gostava de estudar botânica, zoologia, química, anatomia, história natural, filosofia natural, literatura clássica britânica, mesmo com este seu repertório fora preciso ele realizar uma viagem pelo mundo para descobrir quem era e o que deveria ser.

NOTA: A Nona Sinfonia, fora composta por Beethoven a partir do poema Ode à Alegria, do historiador, escritor e poeta alemão Friedrich Schiller. Beethoven teria se encantado com tal poema.
NOTA 2: O poema Ode à Alegria, é considerado hoje como sendo um Hino à Humanidade.
NOTA 3: Se quiserem saber um pouco mais das vidas de Júlio César, Genghis Khan e Galileu, deem uma olhada nos artigos sobre eles, no arquivo deste blog. Mesmo assim aconselho olhar as referências bibliográficas que utilizei em minhas pesquisas.
NOTA 4: Quanto ao fato de Michelangelo ter escrito em sua obra a Pietá seu nome, isso é verdadeiro, porém não se sabe se a história que o levou a fazer isso é real.

Referências Bibliográficas:
LAROUSSE, Grande Enciclopédia Cultural.
BBC, Revista História. Triada, #12, 2009.
DARWIN, Charles. A Origem das Espécies. São Paulo, Editora Escala, 2009. p. 11-16 e 449-462.

LINKS:
Mona Lisa
Teto da Capela Sistina
Pietá de Michelangelo
Nona Sinfonia
Nona Sinfonia de Beethoven: Hino à Humanidade, hino à liberdade (em português)Quinta Sinfonia

3 comentários:

  1. Caro Leandro,
    Existe um outro gênio que tem sido sistematicamente ignorado. Trata-se do Dr. Quintiliano de Mesquita que deu diversas contribuições para a ciência médica. Estou lançando livro sobre esse grande médico e pesquisador que desenvolveu por exemplo a teoria miogênica do infarto do miocárdio que se contrapõe a todos esses tratamentos e prevenções da doença cardíaca que estão por aí mas não conseguem controlar ou reduzir a sua incidência na população. Veja um resumo do livro (primeiras 8 páginas) que lhe darão uma melhor perspectica do que estou dizendo.Em http://www.infarctcombat.org/cm/livro.html
    Atenciosamente
    Carlos Monteiro

    ResponderExcluir
  2. Li o prefácio de vosso livro e fiquei espantando pelo fato de ter-mos tido uma pessoa tão dedicada, inteligente e importante para a História da Medicina Contemporânea, renegada a obscuridade da história. Farei algumas pesquisas a mais sobre ele a fim de inserí-lo nesta lista, que espero crescer cada vez mais.

    ResponderExcluir
  3. Caro Leandro,
    O E-book “Seguindo os passos de um gênio” está disponível, gratuitamente, até o dia 15 de junho de 2011, em http://www.infarctcombat.org/midia/livro.pdf
    O livro em versão impressa pode ser encontrado no Clube dos Autores e na AGbook

    ResponderExcluir